O Espaço IMERGE encerrou em Sta Catarina

A Ideias Emergentes abrirá, oportunamente, um novo Espaço Imerge.

A Ideias Emergentes ENCERROU o Espaço Imerge. Um novo Espaço Imerge surgirá num futuro próximo.

O Espaço IMERGE é um espaço polivalente onde são expostas obras de jovens talentos portugueses dedicado ao design contemporâneo, percorrendo a joalharia, acessórios, livros e discos, passando pela cerâmica, pintura, escultura, desenho, fotografia, serigrafia, mobiliário. Acolhemos mais de 40 autores e criadores portugueses. O Espaço Imerge - definindo-o como um lugar do contemporâneo, na sua mais total e abrangente diversidade, é um espaço de promoção de novos criadores e dando visibilidade a projectos e produtos criativos alternativos e/ou emergentes.

 

 

Kamasutra #1
Virgínio Moutinho
Serigrafia, com vidro e moldura preta ou branca

 

P.V.P.: 95.00 Eur
Referência: 050-001

Kamasutra #2
Virgínio Moutinho
Serigrafia, com vidro e moldura preta ou branca

 

P.V.P.: 95.00 Eur
Referência: 050-002

When Nemo met Siza
Serigrafia de Ricardo Cabrita

 

P.V.P.: 170,00€ Eur
Referência: 039-001

Escrivaninha
Mobimerge
Regeneração e transformação de mobiliário

 

P.V.P.: 150,00 Eur
Referência: 002-005

Cómoda
Mobimerge
Regeneração e transformação de mobiliário

 

P.V.P.: 200,00 Eur
Referência: 002-003

Sofá
Mobimerge
Regeneração e transformação de mobiliário

 

P.V.P.: 300,00 Eur
Referência: 002-007

Móvel com rodízios
Mobimerge
Regeneração e transformação de mobiliário

 

P.V.P.: 130,00 Eur
Referência: 002-006

 

 

 

 

 

 

A Galeria do Espaço Imerge centra o seu trabalho na divulgação dos jovens artistas e promoção de autores reconhecidos.

 

 

A Galeria do Espaço Imerge abriu portas em Outubro de 2006 com a Exposição Internacional de Arte Contemporânea REDline’ 06 – Behind Borders e, desde a sua abertura que já acolheu e produziu um vasto número de exposições, oficinas, apresentações, performances e intercâmbios. Ocupando o Rés-do-chão e Cave do Edifício Imerge, centra o seu trabalho
na divulgação dos jovens artistas e simultaneamente na promoção de autores reconhecidos portugueses e estrangeiros.
A nossa actividade, centrada na criação e produção artísticas, tem ainda como objectivo fundamental, a difusão da comunicação e o entendimento entre artistas, as suas obras e públicos.

 

 

 

 

 

 


Projectos seleccionados

 

 

 


 

JOALHARIA CONTEMPORÂNEA DA LITUÂNIA

 

9 Outubro - 13 Novembro 2010 | Espaço IMERGE

Numa parceria com a Galeria Meno NISA (Vilnius, Lituânia)apresentamos obras de 5 autores lituanos independentes que exercem a sua actividade na área da joalharia contemporânea Jurgita Erminaitė, Egle Čejauskaite-Gintale, Austėja Arlauskaitė, Solveiga and Alfredas Krivičiai e Sandra Malaškevičiūte.

 

 


 

CALÍGENA

 

6 Março a 11 Abril 2010 | Espaço IMERGE

Exposição Individual de Patrícia Franco

“What can a woman do outside?”
(Ghada Amer)

Maternidade, concepção, nascimento, poder, corpo, sexo, são alguns dos temas que foco no meu trabalho.
Calígena - (do grego Ομιχλης), que significa Névoa, era um dos deuses primordiais da mitologia grega.
Contra-parte feminina de Caos, Caligena é todo o Universo e é tudo aquilo que possui como fonte propulsora da vida como o cosmo. Mãe de todo universo criadora da cosmo energia, Calígena seria a primeira divindade feminina do universo.

 

 


 

(IM)MATERIAL | FOTO-INSTALAÇÃO ALUNOS ESAP

 

27 de Junho a 18 de Julho 2009 | Espaço IMERGE

Ana Miranda | Diogo Faria | Gabriela Ferreira | João Campos | Ricardo Almeida | Sandra Araújo | Sofia Romualdo | Tiago Dias

O presente conjunto de obras insere-se no desenvolvimento da inserção da prática da instalação com a exploração teórico-prática da fotografia no âmbito das artes visuais. A transversalidade metafotográfica inerente aos projectos destes artistas, visa extrapolar a frequente atitude normalizadora perante o
suporte fotográfico, repensando os seus conceitos
intrínsecos, quer sejam através da sua utilização/ mecanismo ou através da sua conceptualidade.

 

 


 

BALTIC WIND | VERMELHO VIVO (WINDOW PROJECT)

 

25 ABRIL a 15 MAIO 2009, Sta CATARINA 777 / 778

EXPOSIÇÕES E INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS

“Baltic Wind” reúne trabalhos de pintura e escultura de Benjaminas Jenčius, Longinas Verbickas (Lituânia) e de Raimond Rickevicius (Canadá/Lituânia) apresentada no 777 de Sta Catarina, Espaço IMERGE.

No 778 de Sta Catarina, nas vitrines do Edifício do Arqº Cassiano Branco, apresenta-se “Vermelho Vivo“, englobando “The Story Brand Cabinet” STATEMENT de João Foldenfjord e “Lembra-te de trazer o pão...” de Gaëlle Sandré e Sébastien Dégeilh. Esta intervenção surge no âmbito de um projecto maior - REGENLAB - que procura reflectir sobre a importância da relação da arte e cultura com a cidade.

 

 


 

MAPAS CONTIGUOS, ESPACIOS CONTÍNUOS

 

31 de Maio a 27 de Junho'08 | Espaço IMERGE

Exposição Colectiva de Arte Contemporânea _TPK

Xaro Castillo | Vicente Da Palma | Agustín Fructuoso | Eva Fructuoso | Montse Montero & Pisuerga | Diego Tampanelli

"¿Qué hace que una persona se levante cada mañana dispuesta a enfrentarse a eso que Beckett llama el fracaso absoluto del artista?
Proponiendo esta cuestión, desarrollamos una sucesión de territorios que configuran un mapa
de actitudes donde se inscriben aquellos archipiélagos de pensamiento a los que hacía referencia Glissant. Y a los que podríamos
llamar territorios de resistencia."

 

 


 

LEAP OFF

 

15 de Março a 12 Abril’08 | Espaço IMERGE

Exposição individual de Lúcia David.

Saltar de um edifício, aterrar no asfalto, partir para sempre. Há algo de poético no suicídio que o torna um acto estético apagando o
desespero de quem vive a acção de acabar com a própria vida. A morte só acontece aos outros.
É um retrato, um espectáculo … uma notícia. No salto, na queda, não há sangue nem sujidade. Há
beleza. Há liberdade. Há voo.

 

 

 

 

 

 

 


Actualmente no espaço Imerge

 

 

No Edifício Imerge, acolhemos várias micro-empresas e profissionais independentes com actividade em áreas criativas (Design, Tecnologias criativas, Sonoplastia, produção cultural e artística, entre outras) com quem desenvolvemos contínua ou pontualmente, projectos no âmbito da nossa actividade. Esta orgânica de funcionamento propicia nossa interacção com outros projectos e equipas, permitindo-nos ainda, na área de Serviços, dar respostas céleres, criativas e consistentes, a todas as solicitações de clientes privados e públicos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contextile 2014 - Bienal de Arte Têxtil Contemporânea | 26 Julho a 11 Outubro Guimarães

Concurso para a Exposição Internacional, até 23 Fevereiro 2014 | www.contextile.pt

PENINSULARES_encontros ibéricos de arte têxtil contemporânea

20 Julho a 30 Agosto, Instituto do Design Guimarães | EXPOSIÇÕES, DEBATES, MERCADO

PENINSULARES_encontros ibéricos de arte têxtil contemporânea

20 Julho a 30 Agosto, Instituto do Design Guimarães | EXPOSIÇÕES, DEBATES, MERCADO

MERCADO de Objectos Têxteis, 3 e 4 Agosto, 10h/20h, Instituto Design, Guimarães

Trabalhos de Autor de designers portugueses e espanhóis

Centro de Memória do Forte de S. João de Deus, Bragança

Conceção e Execução do projecto para o Municipio de Bragança. Agosto 2013.

Centro de Memória do Forte de S. João de Deus, Bragança

Conceção e Execução do projecto para o Municipio de Bragança. Agosto 2013.

Centro de Memória do Forte de S. João de Deus, Bragança

Conceção e Execução do projecto para o Município de Bragança. Agosto 2013.

Contextile | Ideias Emergentes participa na Creatextil 2013 - Encuentros Textiles, Madrid

Prémio de Aquisição Contextile 2012

Instalação "Built Up, Broken Down", Claire A. Baker, Reino Unido

Inauguração Contextile 2012, Casa da Memória, Guimarães - 1 Setembro 2012

Viste a página: CONTEXTILE 2012

Ideias Emergentes, CRL (Imerge) é uma cooperativa cultural sem fins lucrativos, fundada em 2004, sediada no Porto.

A Ideias Emergentes – Produção Cultural, CRL (Imerge) é uma sociedade cooperativa do ramo da cultura, sem fins lucrativos, fundada em 2004 e sediada no Porto, que compreende, nos seu objectivos, a produção de actividades criativas e artísticas que contribuam activamente para o surgimento e afirmação de novas dinâmicas culturais de âmbito local, regional e europeu. Promovendo projectos e plataformas de intervenção cultural que desenvolvam novos campos de acção e estimulem o pensamento crítico, criativo e a capacidade transformadora dos cidadãos.
Resultado da convergência de ideias e vontades dos seus membros, conjugando experiências e conhecimentos, a Ideias Emergentes pretende impulsionar e ser um elemento catalisador de formas e linguagens artísticas emergentes, de carácter experimental e pluridisciplinar, recorrendo a conceitos e práticas de transversalidade e diálogo entre áreas criativas.
Enquanto equipa multidisciplinar, a Imerge perspectiva e desenvolve a sua actividade em torno de três eixos prioritários:
Produção e Divulgação Cultural de projectos em áreas tão diversas quanto a arquitectura, o design, a literatura, a música, as artes visuais e as artes performativas.
Serviços nomeadamente em projectos integrados de consultoria, programação e gestão cultural, organização de eventos, registo fotográfico e vídeo documental, arquitectura, design e comunicação;
Formação através da oferta de cursos e oficinas de curta duração de introdução e desenvolvimento de capacidades e competências em diversas áreas disciplinares e de criação artística.

 

 

Somos uma sociedade cooperativa, que funciona como plataforma multidisciplinar de desenvolvimento de ideias, investigação e projectos, disponibilizando serviços nas diversas áreas, com o objectivo de responder a solicitações de empresas, instituições públicas e privadas (escolas, universidades, autarquias, ministérios, fundações, museus, institutos governamentais, associações sectoriais, etc) e/ou pessoa singulares.
Funcionamos como atelier aberto e informal, onde o processo de criação se cruza com o processo de produção e co-working, de forma natural e acessível.
A funcionar no Espaço Imerge, o departamento de arquitectura é coordenado pelos arquitectos Susana Milão, Ricardo Gil Pereira e Laurent Scanga.
A Ideias Emergentes é uma plataforma multidisciplinar onde o lugar do projecto emerge cruza-se com o lugar da exposição.
A funcionar no "ESPAÇO Imerge", a área de serviços - arquitectura e projectos integrados é coordenada pelos arquitectos Susana Milão, Ricardo Gil Pereira e Laurent Scanga, contando com a colaboração (permanente e pontual) de engenheiros, designers, ilustradores, fotógrafos, sonoplastas, videastas, produtores culturais e artistas plásticos.
Queremos promover as actividades e projectos que contribuem de forma activa e produtiva para a qualificação do território em termos ambientais, funcionais e sensoriais. A substituição dos paradigmas de consumo: less is more - menos quantidade por melhor qualidade de vida tem na cultura e na criatividade um papel preponderante e pressupõe um novo olhar sobre as coisas.

 

 

 

 

 


Projectos seleccionados

 

 

 


 

Concurso público de concepção para o projecto do reordenamento, requalificação e valorização da Barrinha, Lagoa de Mira e Lago do Mar

 

Este projecto tem como objectivos a requalificação e valorização dos principais sistemas lagunares adjacentes à Ria, assim como dotar as frentes lagunares de condições de vivência e usufruto por parte da população e de visitantes, e ainda promover as estruturas de apoio às actividades de recreio. Ricardo Pereira, Liliana Vaz, Sara Azevedo e Ana Amorim, (arquitectura), Lia Almeida e Raquel Meireles (arquitectura paisagista) e equipa de Engenharia: Catarina Pereira, Joana Maia, Sónia Amorim, Daniel Barbosa e Rita Ferreira, Alberto Plácido (fotografia e tratamento de imagem) e We Work For Knowledge (design gráfico)

 

 


 

Concurso público de concepção para o projecto do reordenamento e qualificação da frente lagunar de Estarreja – Cais de Canelas, Cais de Salreu e Esteiro de Estarreja

 

Este projecto tem como objectivos a requalificação e valorização dos principais sistemas lagunares adjacentes à Ria, assim como dotar as frentes lagunares de condições de vivência e usufruto por parte da população e de visitantes, e ainda promover as estruturas de apoio às actividades de recreio. Ricardo Pereira, Alda Coelho, Sara Azevedo e Ana Amorim (arquitectura), Lia Almeida (arquitectura paisagista) e equipa de Engenharia: Catarina Pereira, Daniel Barbosa, Joana Maia, Rita Ferreira, Sara Azevedo, Sónia Amorim e João Amaral, Alberto Plácido (fotografia e tratamento de imagem) e We Work For Knowledge (design gráfico)

 

 


 

Concurso público para a elaboração do projecto do Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos

 

Este novo projecto será instalado no antigo Hospital do Espírito Santo de Arraiolos e consiste na criação de um espaço museológico e de investigação sobre a temática do Tapete de Arraiolos.
Devido à diversas alterações que o Hospital sofreu ao longo dos anos, esta proposta procura perceber o que é original e caracterizador do edifício, ao mesmo tempo que introduz novos elementos, estabelecendo uma viva tensão entre épocas e linguagens.
É proposta a construção de um volume que rasga verticalmente o centro do edifício e que se assume como elemento unificador dos diferentes espaços. Este elemento é estrutural, organizador do percurso e ao mesmo tempo um elemento expositivo que pode ser transformado e trabalhado para se adaptar ao que se pretende expor. Co-autoria: Alda Coelho, Margarida Oliveira e Susana Milão

 

 


 

Concurso público para a elaboração do projecto do Centro Escolar da Gafanha da Boa Hora, Vagos

 

Este centro escolar seria para receber alunos do pré-escolar e do 1º ciclo.
O edificado proposto é maioritariamente constituído por apenas 1 piso, sendo, no entanto, necessário que uma parte do programa seja colocado num 2º piso para que se consiga uma boa relação com a área exterior de recreio.
A entrada no Centro Escolar seria um ponto de ligação entre 2 corpos, entre 2 momentos do programa e o ponto de encontro entre a comunidade escolar e os pais.
No corpo mais extenso seria integrado o programa de espaços lectivos e complementares, enquanto no 2º corpo, com 2 pisos, se encontraria a biblioteca, salas de professores e salas de informática.
O conjunto edificado caracteriza-se por planos e volumes com avanços e recuos relativamente a um alinhamento predominante, que permite o surgimento de eixos visuais e a criação de caminhos de evacuação.
Susana Milão e Ricardo Gil Pereira (arq), Alberto Plácido (fotografia e tratamento de imagem) e MAKE DESIGN (design gráfico)

 

 


 

Stand – Cultura e Criatividade

 

Concepta – 1ª feira internacional de arte, cultura e indústrias criativas

O Stand da IMERGE, tinha como objectivo ser e divulgar a plataforma comercial ligada ao design, joalharia, artes visuais e na área de serviços de arquitectura, engenharia e produção cultural. O projecto de arquitectura referente à concepção deste espaço recorreu a biombos de 2 e 3 folhas, em que a estrutura (moldura e diagonal) é deixada à vista. O chão e o mobiliário reciclado organizam os percursos e delimitam a área do stand. Este é um espaço aberto de duas frentes, passagem e convidativo à interacção.
O mobiliário reciclado (neutralizado formalmente pela cor cinza) transporta-nos para a ideia de espaço "familiar" e a sobreposição de móveis, no extremo da diagonal, produz uma forma escultórica composta possível de visualizar (elemento estranho e curioso) e contornar. Susana Milão, Ricardo Gil Pereira, Laurent Scanga (Arquitectura)

 

 


 

CACCAU

 

Remodelação de edifício de escritórios

O projecto pretende transformar um comum edifício de escritórios, situado na Rua Fonte Taurina, no Porto, numa incubadora de empresas criativas.
Tendo como base o conceito da flexibilidade, o projecto encontram-se limitado por se tratar de uma construção existente, o que nos remete para uma flexibilidade funcional e de adaptação.
Os elementos existentes que se adaptam ao novo programa são mantidos, sendo transformados para a criação de uma imagem neutra que irá conferir unidade a todo o edifício.
O programa conta também com um espaço multifuncional e aberto ao público ao nível do piso 0, onde serão divulgados os trabalhos de diversos artistas.
Com este projecto pretende-se criar espaços com identidade e capazes de fomentar a criatividade de quem os for ocupar, sendo, no entanto, espaços neutros capazes de receber novas intervenções e de se desenvolver com os seus utilizadores. Daniel Barbosa e Rita Ferreira (Engenharia), Laurent Scanga, Susana Milão e Liliana Vaz (Arquitectura), Roberta Lazzoni (design de interiores)

 

 


 

ESPAÇO IMERGE

 

Remodelação de espaço comercial

Situado na Rua de Santa Catarina, este espaço corresponde ao r/c de um edifício típico do Porto, caracterizado pela estreita frente de rua e pelo seu desenvolvimento longitudinal. Começou por ser uma galeria: um espaço único no r/c e outro na cave. A cor conjuntamente com as "light box" uniformizaram e neutralizaram o espaço para o acolhimento de projectos de arte contemporânea. O balcão, elemento monolítico preto, pontuava o espaço e serviu para numa 2ªfase de programação do espaço, associar uma área de cafetaria. Aí, um banco corrido ao longo da parede, feito pela sobreposição de palettes pintadas de preto conjugado com mobiliário reciclado (marca MOBIMERGE) de sofás, cadeiras de diferentes tipos e épocas e mesas readaptadas.
Hoje, o Espaço Imerge é muito mais, é entrada e recepção dos projectos de ligados às "industrias criativas" instalados nos pisos superiores.
O piso térreo é um espaço multifuncional e fluído onde a loja-galeria, a cafetaria e um espaço de trabalho se sucedem e convivem sem limites físicos que os definam. Susana Milão, Ricardo Gil Pereira, Paulo Freitas, Laurent Scanga (Arquitectura)

 

 


 

Casa Fontinha

 

Remodelação de habitação unifamiliar

O projecto de remodelação incide sobre um edifício situado na Rua da Fontinha, no Porto, adaptando o seu interior às necessidades do cliente mas não interferindo com a volumetria existente.
O prédio típico do Porto, é dotado de uma estreita frente de rua, desenvolve-se longitudinalmente e nas suas traseiras existe um logradouro, tendo, no entanto, como característica particular a existência de um pátio que perfura a sua volumetria e permite iluminar os espaços centrais da habitação.
O projecto procura tirar proveito destas características e através do uso da luz e da escolha dos materiais e cores, dotar um edifício estreito, de espaços onde não se tenha essa percepção. São também criados alguns elementos de mobiliário fixo adaptados à habitação, que resolvem questões funcionais e se tornam elementos definidores dos espaços. Susana Milão, Laurent Scanga e Liliana Vaz (Arquitectura), Roberta Lazzoni (Design de Interiores)

 

 


 

Ousão

 

O projecto propõe o restauro de uma casa rural e a sua ampliação. O corpo da ampliação define-se como um volume baixo e linear contrastando com o volume existente. Esta tensão rompe a linearidade do projecto, criando assim relações volumétricas claras entre o novo e o existente. Laurent Scanga e Vera Cabrita (Arquitecura)

 

 


 

Casa Campo Lindo

 

Remodelação Habitação Unifamiliar e Atelier

Uma casa perdida pertencente a uma antiga quinta extinta, trespassada pelos novos acessos à cidade. Com uma implantação e desenho de lote distinto da maioria predominante do Porto, esta casa de traça corrente, caracteriza-se pela sua frente extensa, reduzida profundidade e jardim circundante. Procurou-se ouvir, respeitar e entender este sistema vivo e regenerá-lo, activando-o a para um novo conforto e necessidade de espaço_habitação e atelier de arquitectura. Susana Milão e Ricardo Silva (Arquitectura)

 

 


 

Casa em Seixezelo

 

Ampliação e remodelação de habitação unifamiliar

Situada na freguesia de Seixezelo, V. N. de Gaia, a habitação é composta por 2 corpos contíguos de 2 e 1 piso, que se encontram à face da rua e possui ainda um logradouro.
O projecto surge da vontade demonstrada pelo cliente em ter uma habitação que lhe permita albergar a família, o que levou à necessidade de ampliar da habitação.
Em paralelo com a remodelação do corpo de 2 pisos, é demolido o corpo de apenas 1 piso e criado um novo com a mesma cércea do volume que se mantém. Com esta ampliação procura-se responder às necessidades do cliente e ao mesmo tempo criar uma imagem homogénea , onde a pré-existência e o novo se fundem e assumem como uma só habitação. Susana Milão (Arquitectura)

 

 


 

Casa de Silva Porto

 

Remodelação de habitação unifamiliar

Este projecto de remodelação qualifica o edifício criando um espaço mezannino que liberta a fachada principal de um piso e define e clarifica a entrada e as relações espaciais entre os 2 pisos resultantes da elevação da cumieira.
Os tectos acentuam os planos inclinados da cobertura e transportam a luz entre o piso superior e o piso térreo de carácter mais social. Aqui o espaço é amplo e expõe-se ao jardim do logradouro. A cozinha através de um sistema de paineis de correr, isola-se ou integra-se na área social. A luz e a escolha dos materiais foram elementos fundamentais num projecto onde se procura dar maior amplitude a espaços de dimensões reduzidas. Susana Milão (Arquitectura)

 

 


 

Casa de Lindo Vale

 

Ampliação e remodelação de habitação unifamiliar

O prédio urbano situado na Rua de Lindo Vale, no Porto, é composto por 2 corpos, ambos com 2 pisos, tendo apenas um deles frente de rua, estando o outro posicionado nas traseiras do terreno.
Como a configuração actual não responde às necessidades do cliente, foi necessário conciliar a remodelação das pré-existências com uma ampliação volumétrica que permitisse criar uma habitação capaz de receber um agregado familiar alargado.
O programa habitacional é dividido entre os 2 volumes, procurando aproveitar os espaços existentes e criando novos elementos que permitam dar resposta a um programa extenso. Para estabelecer a ligação entre os 2 corpos e também entre os pisos procede-se à ampliação da área de implantação, procedendo-se ao prolongamento de um dos corpos.
Com esta ampliação resolve-se um problema funcional de ligação entre espaços e transformam-se 2 volumes numa só habitação, capaz de responder às necessidades do cliente. Susana Milão, Ricardo Gil Pereira e colaboração de Alda Coelho e Liliana Vaz (Arquitectura)
Temos como missão a concepção, preparação e implementação de serviços e soluções logística
Com experiência, em projectos Integrados conectados com a arquitectura e com a produção cultural, temos como missão a concepção, preparação e implementação de serviços e de soluções logísticas, recorrendo a meios e um conjunto de profissionais experientes, com o propósito de dar resposta às necessidades e exigências de cada cliente.
Dispomos de diversos serviços de apoio a eventos artísticos, culturais e outros, indoor e outdoor, design, comunicação e divulgação, edição e outsourcing. A nossa acção compreende: o desenvolvimento de projecto; a coordenação dos trabalhos e de equipas; o fornecimento e aplicação de equipamentos e execução de trabalhos complementares.

 

 

 

 

 


Projectos seleccionados

 

 

 


 

M-ART

 

Concurso: Modular market not a building: a place of interconnection

Com este projecto procura-se uma solução arquitectónica que ajude a incrementar o artesanato, percebendo a importância entre o público, o processo artístico e as necessidades comerciais. Esta proposta pretende demonstrar que o mercado pode surgir em qualquer ponto da cidade, adaptando-se tanto a locais com forte identidade como a locais sem identidade.
O mercado como ponto de encontro, trabalho, aprendizagem e inovação, é a base deste projecto que procura inspirar e auxiliar os artistas na sua integração no espaço público.
Surge então um mercado modular que pode ser transformado pelos artistas durante a sua ocupação. São módulos que funcionam isolados ou em conjugação com outros, sendo possível a criação de várias combinações. Estes módulos são compostos por espaços interiores e exteriores o que permite que também sejam usados pelo público como espaços de estar/encontro. Alda Ribeiro, Margarida Coelho, Susana Milão (arquitectura) e Tiago Dias (fotografia e tratamento de imagem)

 

 


 

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DE MIRA, TERRITÓRIO DE GÂNDARA - Concurso Público - Estratégia museográfica, produção de conteúdos, e montagem de exposição

 

A temática subjacente a esta proposta centra-se sobre “a humanização da paisagem litoral ao longo da história – o caso do território de Gândara”. Defende-se a tese de que estamos a falar de uma paisagem em que o “natural” não é mais do que o esforço humano de criar condições de utilização do território, através do lento acumular de conhecimento sobre quais as formas de dominar, pelo menos de forma relativa, o ambiente envolvente.
O discurso museográfico centrar-se-á numa VIAGEM em dois momentos: - o presente que levará à descoberta do território nos dias de hoje e o passado que pela investigação histórica e recolha de elementos levará à compreensão, interpretação e sensibilização dos fenómenos actuais. O futuro trabalhar-se-á em permanência pela defesa de um museu e equipamento cultural dinâmico, jovem e em permanente transformação.
O espaço do museu é a ponte para o território, cujos objectivos principais deverão passar pela preservação e respeito pelo ambiente e território de hoje, de forma a legar, como as gerações passadas em parte já o fizeram, uma paisagem, um meio e lugar para os que nos sucedem. Susana Milão e Ricardo Gil Pereira (arquitectura) e Rui Magalhães, We Work For Knowledge (design gráfico)

 

 


 

Museu Berardo e Museu da Electricidade

 

2 Concursos públicos _Trienal de Arquitectura de Lisboa

O tema da Trienal de Arquitectura de Lisboa de 2010 é o habitar. A casa enquanto arquétipo da arquitectura é o invólucro delimitador entre a esfera pública e a privada. Espaço ontogénico, lugar de onde o homem “parte e regressa”, lugar de defesa, de prazer, de aprendizagem, de congregação.
Surgem 2 conceitos, sendo o 1º a organização da exposição como "uma árvore", a ideia de ramificação a partir de uma peça central que, é o prefácio às exposições, enquanto o 2º é a ideia de caixa como elemento base de construção, como núcleo, em analogia com a habitação que, no caso destas duas exposições, se organiza, se repete e se agrega.
O carácter efémero desta exposição na conjugação com o tema levaram à génese do habitar: o abrigo, a cabana.
O percurso expositivo proposto surge através da criação de volumes feitas a partir de caixas de cartão, podendo estas assumirem-se como objectos de transporte ou como base expositiva. A flexibilidade e versatilidade desta solução permite a composição de diferentes formas, configurações e vazios e servirá qualquer conteúdo expositivo. Embalagens dispostas de variadas formas irão auto sustentar-se, criando espaços com diferentes características e configurações.
Antecedendo a exposição surge uma 1ª leitura, onde a identidade gráfica assinala o tema e marca propostos. A exposição revela-se a partir de um grande eixo axial que organiza o espaço e intersecta os volumes expositivos.
Cada corresponde a uma área geográfica e diferencia-se através do uso da cor e de tipografias distintas.
A exposição apresenta-se em 2 níveis, funcionando o 1º através da sobreposição de layers que desenham o espaço, orientando o público, enquanto a um 2º nível surge um sistema de comunicação próprio de cada espaço. Alda Coelho, Margarida Oliveira, Susana Milão (arquitectura), Tiago Dias (fotografia e tratamento de imagem), Indigo (design gráfico Museu Berardo) e We Work For Knowledge (design gráfico Museu Electricidade) Imagens: 1,2,3 Museu da Electricidade; 4,5,Museu Berardo

 

 


 

Concurso público “prestação de serviços para a requalificação da exposição permanente (temporária de muito longa duração) e recepção do Museu do Traje de Viana do Castelo”

 

Este museu é encarado como um instrumento de mediação entre os objectos, as memórias, as gentes e o poder local.
Com esta proposta procura-se respeitar e deixar respirar o edifício, libertando-se o perímetro e concentrando-se a exposição no centro. Pretende-se criar um discurso expositivo com coerência interna, partindo de uma zona central, intimista, no uso e na produção artesanal de tecidos, para depois nas plataformas laterais chamar o exterior, o campo e o mar.
A recepção será o ponto de chegada e partida e deste espaço apenas de antevê a exposição, não existindo nunca uma visão total na procura de despertar a curiosidade de quem visita este espaço.
O percurso expositivo é criado pelos elementos construídos e no interior destes existem móveis que despertam a interactividade entre o público e a exposição.
Esta proposta pode ser desenhada com o recurso a módulos permitindo, assim, o refrescamento da exposição, criando a possibilidade de um novo discurso expositivo sobre o mesmo acervo. Alda Coelho, Susana Milão (arquitectura), Tiago Dias (fotografia e tratamento de imagem), We Work For Knowledge (design gráfico), Conceição Rios (Consultoria)

 

 


 

STAND_Exposição “Fios” e exposição “Fios, teias e tecidos”

 

2 Concursos públicos de concepção de exposição no âmbito da 21ª Feira Internacional de Artesanato – FIA 2009
Esta exposição tem como conceitos base a forma e a memória, e sua concretização assenta sobre 2 abordagens e níveis de mediação entre a mensagem/objecto expositiva e o público/visitante.
Na 1ª abordagem considera-se a comunicação visual como transmissão de informação, enquanto a 2ª pretende pretende despoletar leituras e captar a atenção.
O 1º nível funciona pela sobreposição de layers imbricados nos espaços e nos objectos, levando a que a associação dos vários núcleos crie uma família de elementos. O 2º nível liga-se com a percepção e interpretação, existindo nas áreas expositivas um sistema de comunicação próprio que orienta o visitante e lhe sugere leituras. Susana Milão, Laurent Scanga, Alda Coelho (Arquitectura), Gaelle Sandre (Design de Comunicação), Conceição Rios (Consultoria)

 

 


 

Concurso público para a concepção e fornecimento da estratégia museográfica para o Museu Terra de Besteiros

 

A proposta encara este museu como uma possibilidade de o público descobrir a realidade, a história e a cultura locais. O discurso expositivo é dividido em 3 momentos: descobrir a terra; as épocas e as culturas; e a cultura e tecnologia tradicional.
Toda a exposição será composta por diversos módulos que funcionam de uma forma autónoma em relação ao edifício e que permitem uma elevada flexibilidade de utilização e reconfiguração.
Em termos de discurso museológico, este "equipamento cultural" deverá ser um espaço que se transforma e adapta ao visitante, interagindo com o mesmo. Mais do que um esquema fixo de conteúdos, de iluminação, de som, de disposição de peças, a tecnologia deverá entrar como um novo elemento, a escrever mais uma página na rica história do concelho. A sinfonia de luz, som e efeitos que existe no espaço do Museu e o transformam, depende directamente da interacção e do interesse de cada um dos utentes perante os diferentes objectos expostos. Susana Milão, Ricardo Gil Pereira (Arquitectura) e Gaelle Sandré (Design Gráfico)

 

 


 

"Património no Território"

 

Concepção e produção de Stand e Exposição Itinerante

INTERVENÇÕES NO PATRIMÓNIO CLASSIFICADO DO NORTE DE PORTUGAL 2005-2010 | Abril 2010, Mosteiro de São Martinho de Tibães (Braga), Porto e Valladolid

"É um dos objectivos e competências da Direcção Regional de Cultura do Norte promover a Salvaguarda e Divulgação do Património Construído. Esta Exposição pretende promover a divulgação desse Património na Região Norte,
e a actividade de Salvaguarda e Valorização que esta Direcção Regional nele desenvolveu nos últimos cinco anos."

A DRCN promoveu em Setembro 2010,no espaço físico da Estação de Metro S. Bento, no Porto, a Exposição Itinerante "Património no Território"

"PERMANENCIA Y IDENTIDADES" Património Norte de Portugal
Em Novembro 2010, a DRCN promoveu, inserido no evento AR&PA 2010 - VII Bienal de Restauro e Gestão do Património, a exposição subordinada ao tema "Património no Território - castelos, igrejas e sítios da raia transmontana", executada no âmbito de uma candidatura apresentada ao Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal|
Paulo Freitas (Arquitectura) e We Work for Knowledge (Design)

 

 


 

Núcleo Museológico de Outeiro

 

Concepção e produção do Núcleo Museológico de carácter patrimonial | Setembro 09, Outeiro, Bragança

Este núcleo museológico surge na antiga Casa da Câmara e foi concebido como um espaço de enquadramento e de início de um “roteiro” que se prolonga pelas ruas da aldeia.
O único elemento expositivo existente é a Cadeira do Juiz, o qual foi restaurada e colocada sobre uma plataforma entre as 2 janelas das quais se pode observar a aldeia e o pelourinho.
O espaço da Casa da Câmara foi redesenhado como o recurso a painéis afastados das paredes existentes, o que permite a criação de uma zona técnica e de arrumos onde serão guardados os elementos expositivos que vão sendo substituídos para que a exposição seja dinâmica.
Devido à dimensão reduzida do espaço e ao querer valorizar a Cadeira, os painéis contêm apenas textos e imagens, no entanto, serão embutidos 5 gavetas e 2 pequenos armários que guardam no seu interior algum património material e imaterial. Susana Milão e Alda Coelho (Arquitectura), Alberto Plácido e Joaquim Pinheiro (Fotografia), Luís Mendonça (design gráfico), INEAR, Marcos Jerónimo (Instalação sonora), Ilda Nunes (Conservação e restauro Cadeira do Juíz), VIDEOCONTACTO_Jorge Medeiros (Montagem vídeo)

 

 


 

Núcleo Museológico de Izeda

 

Concepção e produção de Núcleo Museológico de carácter histórico e etnográfico | Setembro 2009 Izeda, Bragança

A exposição apresenta-se como um “roteiro” de descoberta do território e das gentes. Para este efeito foram seleccionadas as peças mais representativas do quotidiano de Izeda, as quais serão integradas numa exposição permanente.
A organização da exposição é feita através da criação de núcleos temáticos que retratam o mundo privado e público e a transição entre eles. Existem 6 núcleos exclusivamente expositivos e 1 núcleo que alia a zona de recepção à exposição.
Cada núcleo será constituído por um conjunto de plataformas, que terão um módulo base, e que serão compostas de diferentes elementos expositivos que permitam organizar os diferentes tipos de objectos. Como apoio aos núcleos surgem, ainda, 2 armários que funcionam como expositores e reserva, pois pretende-se que a exposição não seja estanque e que se possa verificar uma transformação e mudança dos conteúdos expositivos.
Existe ainda uma exposição temporária onde será utilizada a mesma organização dos núcleos e onde serão exposta objectos em reserva. Susana Milão e Alda Coelho (Arquitectura), Alberto Plácido e Joaquim Pinheiro (Fotografia), Luís Mendonça (Design Gráfico), INEAR, Marcos Jerónimo (Instalação Sonora), VIDEOCONTACTO_Jorge Medeiros (Montagem vídeo), Conceição Rios (Etnografia / Museologia)

 

 


 

“Almada, são nosso todos os caminhos”

 

Exposição | Concepção, produção, montagem, assistência técnica e desmontagem | De 23 Junho a 12 Julho 09, Almada

O conceito desta exposição parte da ideia de interior/exterior e da ideia de rede de temas inter-relacionados, e evitando a leitura sequencial, perseguiu uma exploração sensorial do espaço expositivo pelo visitante.
A exposição é composta por vários módulos, os quais são constituídos pela aglomeração de um módulo base, podendo apresentar variadas composições. Este módulos são dispostos tendo em consideração os temas mas também de forma a criar percursos de circulação apelativos. Recorreu-se ao uso da cor no interior para diferenciar cada pavilhão, criando, assim, uma leitura cromática que induzisse à exploração do espaço, pelo contraste com o o exterior dos volumes mantidos à cor natural e com intervenções pontuais.
A exposição apresenta-se em 2 níveis, sendo o 1º composto por uma multiplicidade de estímulos visuais e auditivos que pretendem cativar o transeunte, enquanto ao 2º nível são apresentadas informações mais detalhadas no interior dos módulos. Ricardo Gil Pereira, Alda Coelho, Susana Milão (arquitectura), José Xardo (Engenharia), Gaelle Sandré, Luís Mendonça (design de comunicação), Conceição Rios (Consultoria), MCV,LDA (Construção e Montagem)

 

 


 

Núcleo Museológico do Centro Histórico de Caminha

 

Projecto de Design, Concepção e Fornecimento de Material expositivo, de divulgação e Promoção | Outubro 2007 - Setembro 2008

Como forma de dar destino ao património arqueológico que tem vindo a ser descoberto no Concelho, a Câmara Municipal de Caminha encontra-se a promover o projecto de um núcleo museológico na Torre do Relógio constituído com
a missão de interpretar, valorizar e difundir testemunhos singulares. O programa museológico foi apresentado e concebido e baseia-se no
conceito que explora a relação entre o visitante, o espaço e o objecto expositivo e a arquitectura do edifício, neste caso, a Torre do Relógio.

A logomarca e a identidade gráfica associada
foram desenvolvidas com a preocupação de funcionar eficazmente em diferentes situações, suportes, meios e escalas, em que as opções cromáticas reforçam a imagem e aludem simbolicamente à cultura patrimonial do “Lugar”. Susana Milão (Arquitectura) e Nuno Martins (Design)

 

 


 

Mosteiro de S. Martinho de Tibães, em Braga

 

Janeiro de 2006 a Janeiro de 2008_Criação de Módulo Expositivo para Projecto de Reabilitação do Mosteiro de Tibães

Durante o período previsto para a realização da obra de recuperação e reabilitação do Noviciado, Ala Sul e Claustro do Refeitório, aproximadamente um terço da área do Mosteiro de Tibães vai ficar inacessível e deixar de fazer parte integrante do Percurso Museológico.
A exposição patente no Mosteiro e as visitas guiadas que nela se integram pretendem colmatar esse facto, e dar ao visitante a possibilidade de conhecer o projecto e a obra que decorrerá durante os próximos dois anos.
A ideia de transmitir o projecto através da imagem deu origem a um módulo expositivo composto por duas caixas de projecção justapostas: uma caixa para imagens virtuais que permitem visualizar o futuro e outra para projecção de fotografias de acompanhamento da obra. Estas imagens tiradas de 16 pontos fixos da obra serão actualizadas mensalmente.
As fotografias do mês em curso podem ser vistas no módulo expositivo, enquanto que a totalidade das imagens, incluindo as que estão em exposição e as dos meses anteriores, bem outras informações relacionadas com o projecto poderão ser vistas em www.mosteirodetibaes.org. Paulo Freitas, Maria João Marques (Arquitectura), Joaquim Pinheiro (Fotografia)
Design, criação, regeneração e transformação de objectos, projectos de arquitectura sustentável
Desenvolvemos projectos experimentais e de intervenção, baseando-nos na premissa da regeneração e transformação de espaços e objectos a partir de produtos existentes, peças de mobiliário anónimo, transformadas e resignificadas, que conjugam as temáticas da sustentabilidade com a criação de ambientes sensorialmente únicos e de peças com base neutra, passíveis de intervenções personalizáveis.

 

 

 

 

 


Projectos seleccionados

 

Consultoria e Mediação Cultural e de gestão de entidades culturais ou artísticas
A IDEIAS EMERGENTES presta serviços de Consultoria e Mediação Cultural e de gestão de entidades culturais ou artísticas, projectando e desenvolvendo estratégias sócio-culturais na área da programação cultural e artística, procurando viabilizar o projecto artístico e garantindo o seu ajustamento à especificidade da envolvente cultural e de negócio. Realizamos, ainda, acompanhamento e gestão de projectos, pesquisa e desenvolvimento de conceitos.

 

 

 

 

 


Projectos seleccionados

 

 

 

 

 

 

 

A Ideias Emergentes tem como um dos objectivos a produção de projectos e eventos que potenciem a diversidade cultural.

A Ideias Emergentes compreende, nos seus objectivos, a promoção e divulgação de artistas emergentes, a produção de projectos e eventos que potenciem a riqueza e a diversidade cultural,dinamizando projectos de âmbito local, regional e internacional.
Somos responsáveis pelo desenvolvimento de uma programação cultural própria e em parceria com outras entidades similares. A nossa actividade contempla projectos culturais e/ou artísticos em vários e diversos domínios tais como: Exposições, workshop' s, Espectáculos de Dança e Teatro, Concertos, Performances, Edição Literária, Debates. Estamos empenhados em impulsionar e desenvolver projectos europeus de âmbito cultural e artístico, apostando na aprendizagem intercultural e na promoção de artistas emergentes, a partir de parcerias existentes e outras a criar.

 

 

 

 

 


Projectos seleccionados

 

 

 


 

CRÓNICA DE GUIMARÃES

 

 

Instalação_vitrine no Mercado de Guimarães e no Espaço IMERGE

Trabalho colaborativo realizado entre arquitectos, designers e ilustradores - Susana Milão, Laurent Scanga, Nuno Ramos, Gaelle Sandré e Sebastien Dégeilh - realizado em setembro na cidade de Guimarães, e com o apoio da Capital Europeia da Cultura. CRÓNICA DE GUIMARÃES é um projecto de reflexão e provocação sobre a cidade, enquadrando-se num projecto de longa duração e de largo espectro - REGENLAB (cargocollective.com/regenlab ).
Entre a ficção e o real, este projecto quer uma produção de novas leituras e a criação de novas representações a partir de um olhar de "fora" no confronto com o referencial local.
O nome do projecto «Crónicas de Guimarães» advém da referência às Crónicas de Nuremberg, um “guia de cidade” de 1493 que contextualiza a sociedade desse período.
Em 2012, e como resultado de uma "residência artística", focaliza-se a atenção sobre a actual condição dos Mercados em Guimarães, mais concretamente sobre a transformação e deslocação dos "lugares de troca": o recente mercado municipal e campo da feira; o hipermercado; e o antigo mercado do arquitecto Marques da Silva e actual Plataforma das Artes.

 

 


 

CONTEXTILE 2012 – Trienal de Arte Têxtil Contemporânea

 

 

CONTEXTILE 2012 é uma trienal de arte têxtil contemporânea de âmbito internacional.
Esta trienal pretende ser um espaço eclético de promoção do diálogo entre artistas, criadores, a comunidade (cidadãos e empresas locais), contribuindo assim para a valorização do têxtil e da arte têxtil, bem como para a diversificação da economia e das indústrias culturais e criativas das regiões.
A CONTEXTILE tem como objectivo: Dar visibilidade à Arte Têxtil, Mobilizar e incentivar os artistas para uma abordagem inovadora e experimental das artes visuais; Assumir-se como Plataforma Criativa e de debate de ideias/projetos, desenvolvimento de redes internacionais, troca de boas práticas interdisciplinares e académicas.
Nesta 1ª edição da CONTEXTILE, integrada na programação CIDADE da Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, foi desenhado um projeto de trienal assente num programa simples, mas equilibrado, de temática abrangente, apresentado em vários locais da cidade.

 

 


 

REWIND : Portuguese Textile and Contemporary Art Exhibition

 

 

22 Setembro | 04 Dezembro 2011, integrada na Kaunas BIENNIAL, TEXTILE'11

Para a exposição REWIND : Portuguese Textile and Contemporary Art Exhibition, Lúcia David, curadora e artista participante, seleccionou os artistas Márcia Luças, João Vaz de Carvalho, Lilia Catarina, Jorge Ramos, Conceição Rios, Alexandra Ministro, Lúcia David. Estes artistas trabalham sobre o tema, utilizando os têxteis como forma de expressão, quer material ou conceptualmente, na criação das suas obras.

Ao lado, imagens das obras de Lilia Catarina, Lúcia David, São Rios, Alexandra Ministro e João Vaz de Carvalho

 

 


 

KAUNASOPORTO Exchange | JORNADAS DE ARTE E CULTURA CONTEMPORÂNEA DA LITUÂNIA

 

 

22 Maio a 20 de Junho 2010 | Espaço IMERGE, Galeria ASVS, Fábrica Social, Galeria 787, Teatro Helena Sá e Costa

KAUNASOPORTO exchange é um projecto de desenvolvimento das relações culturais e artísticas entre Portugal e a Lituânia, numa parceria entre a IDEIAS EMERGENTES - Produção Cultural, CRL do Porto e a MenoPARKAS Galerija / Associação de Artistas da Lituânia, em Kaunas. Desde 2005 têm sido desenvolvidos vários projectos artísticos no Porto e em Kaunas.

 

 


 

REGENLAB | Novas Cartografias Das Cidades Criativas

 

 

1 a 12 Outubro 2009, Porto | Intercâmbio e Workshop Europeu

“REGENLAB” é um projecto relacionado com as questões urbanas em todas as suas dimensões e ao potencial criativo das cidades como um modo de revitalização urbana, como um veículo para promover a participação dos cidadãos na construção da sociedade contemporânea. Com uma tradição importante de projecção e recepção de ideias em redes internacionais, materializada em intercâmbios, residências de artistas ou integração de jovens voluntários europeus, a IMERGE abre o Projecto ao estudo participado e multidisciplinar daqueles que chegam dos vários caminhos europeus e que acrescentam ao REGENLAB a elasticidade de aproximações disciplinares, enriquecendo-se dialecticamente com os novos olhares.

 

 


 

ARTVILNIUS'09 | Feira de Arte Contemporânia Estados Bálticos

 

 

8-12 JULHO 2009 | LITEXPO, VILNIUS, LITUÂNIA

EMA RIBEIRO | LÚCIA DAVID | JOÃO FOLDJENFJORD | MÁRCIA LUÇAS

Vilnius é a Capital Europeia da Cultura em 2009. Um dos mais importantes e maiores eventos deste programa foi a primeira de arte internacional
nunca antes realizada nos Estados bálticos - ART VILNIUS'09 e que tem como objectivo tornar-se uma ponte entre o Oriente e o Ocidente.

 

 


 

REDline’08 _Bordering on Us

 

 

11 Outubro a 9 Novembro 2008, Porto | Encontro Internacional de Arte Contemporânea

REDline’08_Bordering on Us, é um projecto artístico que visa a produção de um encontro_exposição internacional de arte
contemporânea, enquadrado numa metodologia de pesquisa sobre o tema do espaço público na contemporaneidade e, especificamente, dos recentes desenvolvimentos naquilo que entendemos que são a sua natureza ou forma, e consequentes
alterações de localização e acessibilidade.
De forma a concretizarmos este projecto, estabelecemos parcerias com organizações artísticas localizadas em Barcelona_Espanha,
Montpellier_França, Kaunas_ Lituânia e ainda Varsóvia_Polónia.

 

 


 

EMBRYO | LÚCIA DAVID

 

 

25 Setembro a 25 Outubro’08 | TPK_L’Hospitalet-Barcelona

...what is now present was before future.
The present is nothing but the future in a embryo stage...
O tempo é um combustível lento que reduz a vida a cinzas. A representação da passagem do tempo no meu trabalho inclui a ideia de museu, o espaço onde se preserva a todo o custo a memória da história, se tenta apresentar o passado no presente e onde se encontram muitos futuros datados. O papel é um dos elementos facilmente manipuláveis em termos de aparência de tempo, muitas marcas que são apagáveis ou laváveis. A noção de conservação para museu contem em si toda uma falsidade sobre a passagem do tempo e apresenta muitas vezes as peças do passado numa versão de presente-passado o não de presente-futuro, ou seja, apaga limpando e conservando, a cor do envelhecimento, apaga o futuro que se acumulou ao longo dos anos, restituindo-lhes a cor de embrião. (Lúcia David 2008)

 

 


 

ECO | ALBERTO PLÁCIDO

 

 

8 de Fevereiro a 28 de Março’08 | TPK_L’Hospitalet-Barcelona, Espanha

ECO é uma Instalação que recorre à fotografia que, quando sujeita a um sistema óptico (os espelhos), prescinde da sua identidade individual, para se relacionar com reflexos de si própria, criando uma nova percepção, com uma
multiplicidade de interpretações que oscilam entre a realidade e a ilusão, numa reflexão sobre o papel da fotografia como meio de
representação da realidade, e a sua importância na noção de paisagem.

 

 

 

 

 

 

 

SKETCHUP MÓDULO I

Formador
Arquitecto José Salsa

 

Local da Formação
Espaço Imerge, Rua de St. Catarina, nº 781, Porto

 

FORMAÇÃO SKETCHUP | MÓDULO I (INTRODUÇÃO ÀS FUNCÕES PRINCIPAIS E BÁSICAS DO SKETCHUP)

28, 29 Fevereiro e 6, 7 Março, 19h - 22h
Custo por formando: 95,00€ IVA incluído

O Módulo I é direccionado para utilizadores de qualquer área. Este módulo quer-se de assimilação simples e fácil para permitir a qualquer utilizador de se familiarizar rapidamente com os menus, com o espaço de visualização 3D, as acções do rato, os comandos e funções do Sketchup. Com a realização de trabalhos práticos.

 


 

SKETCHUP MÓDULO II

Formador
Arquitecto José Salsa

 

Local da Formação
Espaço Imerge, Rua de St. Catarina, nº 781, Porto

 

FORMAÇÃO SKETCHUP | MÓDULO II (INTRODUÇÃO A COMANDO MAIS ELABORADOS DO SU)

20, 21, 27 e 28 Março, 19h - 22h
Custo por formando: 95,00€ IVA incluído

O Módulo II de Sketchup é orientado para o ensino de metodologias de trabalho e para um complemento de ensino de ferramentas mais específicas para arquitectos e áreas profissionais afins. Este módulo quer não só introduzir comandos mais elaborados e específicos como também pretende implementar metodologias de trabalho e de desenvolvimento no âmbito de optimizar a ferramenta que representa o SU.

 


 

Produção de cartazes para divulgação de pequenos (grandes) eventos

Formador
Nuno Ramos, Pé de Mosca

 

Local da Formação

 

Carga Horária: 4 sessões de 3 horas (14h30/17h30)
Mínimo 6 participantes e máximo de 12
Custo por participante: 85,00€

A necessidade de divulgação de eventos e actividades e as dificuldades orçamentais para o fazer,levam a que muitas vezes esta seja a componente mais descurada de um projecto. A vulgarização da informática e das impressoras caseiras facilitam a produção de suportes de divulgação mas nem por isso contribuem para o aumento da sua qualidade. Este workshop é dividido em duas componentes: as regras de “construção” de cartazes, tendo em conta questões técnicas que asseguram uma comunicação mais eficaz; e as técnicas de impressão simples, “caseiras”, como a serigrafia. Pretende-se dotar os participantes de ferramentas que lhe possibilitem projectar e reproduzir cartazes de forma eficaz e económica.

 


 

Fotografia como Suporte Digital Módulo I

Formador
Alberto Plácido, Fotógrafo

 

Local da Formação
Espaço Imerge, Rua de St. Catarina, nº 781, Porto

 

95,00 € IVA incluído

“O Curso de Fotografia com Suporte Digital pretende ser uma forma de introduzir, a todos os que tenham como objectivo adquirir um conhecimento vasto sobre a fotografia digital, bem como, as técnicas necessárias para obter uma imagem digital de grande qualidade. Pretende-se realizar uma acção de formação que proporcione uma introdução ao formato digital na área da fotografia. Dado que as técnicas de tomada de vistas (acto de fotografar) não sofreram alterações significativas com a introdução do Suporte Digital, pretende-se ensinar os fundamentos deste novo suporte digital, por forma a permitir tirar proveito das suas características fundamentais. A matéria centra-se na aquisição de conhecimentos essenciais para quem, de alguma forma, utilize a fotografia digital, partindo do princípio de que uma fotografia realizada por uma máquina fotográfica digital nunca está realmente pronta quando sai da máquina. Estas, no caso dos sensores CCD ou CMOS, necessitam sempre de ajustes.”

 


 

Fotografia como Suporte Digital Módulo II

Formador
Alberto Plácido

 

Local da Formação
Espaço Imerge, Rua de St. Catarina, nº 781, Porto

 

95,00 € IVA incluído

“O módulo II do Curso de Fotografia como Suporte Digital é uma viagem no programa Adobe Photoshop, onde serão abordadas todas as ferramentas essenciais à edição de Fotografia Digital, preparando o aluno para a criação, edição e correcção das imagens, através de ferramentas e técnicas que permitam edições mais complexas. Serão ensinados métodos de trabalho que facilitem e rentabilizem ao máximo a utilização do Photoshop em termos e da fotografia Digital em geral, por forma a obter a máxima qualidade de uma imagem digital.”

 


 

 

 

 

 

Espaço Imerge

(mapa)

 

Horário

 

Telefax
00351 225099642

 

Móvel
00351 96 51 57 857

 

E-mail
imergentes@gmail.com
geral@ideiasemergentes.pt

 

 

 

Sede Social
IDEIAS EMERGENTES –
Produção Cultural,CRL
Rua Dr. Pedro Dias, 54
4200 – 441 Porto

 

 

 

Ligações internas

 

 


 

Parceiros

 

 


 

Ligações úteis

 

 

 

 

PENINSULARES encontros ibéricos de arte têxtil contemporânea

20 JULHO A 30 AGOSTO 2013

 

INSTITUTO DE DESIGN GUIMARÃES

 

PENINSULARES_encontros ibéricos de arte têxtil contemporânea
EXPOSIÇÕES, DEBATES, MERCADO 20 JULHO A 30 AGOSTO 2013 INSTITUTO DE DESIGN GUIMARÃES

A Contextile | Ideias Emergentes e a Associacion de Creadores Textiles de Madrid, em parceria com o Instituto do Design de Guimarães, vai organizar os primeiros encontros ibéricos de arte têxtil, na continuidade da reflexão e do debate (e na sequência) da Contextile 2012, onde participaram artistas e parceiros espanhóis nas diferentes actividades do programa: exposição internacional, residências artísticas e conferência.
É neste sentido que surge o projecto PENINSULARES que pretende congregar criativos e artistas da Península Ibérica em dois eventos e em dois momentos, cá e lá – Madrid e Guimarães – tendo em vista o desenvolvimento de uma rede ibérica que tenha como desiderato a divulgação da arte têxtil contemporânea, bem como a promoção do Têxtil em geral.

INAUGURAÇÃO | OPENING > SÁBADO 20 JULHO ÀS 18H

20 JULHO a 30 AGOSTO | EXPOSIÇÃO ARTE TÊXTIL CONTEMPORÂNEA artistas portugueses + artistas de espanha

20 JULHO a 30 AGOSTO | EXPOSIÇÃO SUAVE 5 – Trienal Internacional de Accesorios Textiles para la Moda.

21 JULHO 11h às 13h | DEBATE “Arte Têxtil Ibérica: do tradicional ao contemporâneo”.

3, 4 AGOSTO 10h – 20h | MERCADO OBJECTOS TÊXTEIS Trabalhos de autor de designers portugueses e espanhóis

https://www.facebook.com/peninsularesguimaraes

 


 

Suave 5

30 Maio a 30 Junho 2013

 

Museu de Artes Decorativas | Madrid

 

8 artistas portuguesas participam na Suave 5 - Trienal Internacional de Complementos Textiles para la Moda: Alexandra Oliveira, Ana Tecedeiro, Claúdia Melo, Conceição Rios, Dora Iva Rita, Florbela Barreto, Lília Catarina e Rita Noro.

 


 

2ª VENDA de GARAGEM

Sábado, 25 de Maio de 2013

 

ESPAÇO IMERGE, Rua de Santa Catarina, 777, PORTO

 

12h às 19h

Estamos a promover a 2ª Venda de Garagem no próximo sábado, 25 de Maio, das 12h às 19h.
Continuamos a arrumar o Espaço Imerge, e temos muitas coisas boas, e em bom estado: objectos artísticos,livros, mobiliário, equipamentos vários, diversos materiais, etc.
Visita-nos, porque pode valer a pena.

 


 

NATAL NA IMERGE | EXPOSIÇÃO VENDA DE AUTOR

26 Novembro/ 31 Dezembro

 

ESPAÇO IMERGE, Rua de Santa Catarina, 777

 

Segunda a Sábado, 10h às 19h

joalharia | acessórios | cerâmica | mobiliário | fotografia | serigrafia | pintura | escultura | música | livros | artesanato urbano

 


 

CONTEXTILE 2012 – Trienal de Arte Têxtil Contemporânea

1 SET A 14 OUT 2012

 

CASA DA MEMÓRIA, Avenida Conde Margaride, nº 490-502

 

A CONTEXTILE 2012 é uma trienal de arte têxtil contemporânea de âmbito internacional.
Esta trienal pretende ser um espaço eclético de promoção do diálogo entre artistas, criadores, a comunidade (cidadãos e empresas locais), contribuindo assim para a valorização do têxtil e da arte têxtil, bem como para a diversificação da economia e das indústrias culturais e criativas das regiões.
A CONTEXTILE tem como objectivo: Dar visibilidade à Arte Têxtil, Mobilizar e incentivar os artistas para uma abordagem inovadora e experimental das artes visuais; Assumir-se como Plataforma Criativa e de debate de ideias/projetos, desenvolvimento de redes internacionais, troca de boas práticas interdisciplinares e académicas.
Nesta 1ª edição da CONTEXTILE, integrada na programação CIDADE da Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, foi desenhado um projeto de trienal assente num programa simples, mas equilibrado, de temática abrangente, apresentado em vários locais da cidade.

 


 

CONFERÊNCIA Arte Têxtil Contemporânea: que perspetivas?

2 e 3 de Outubro de 2012

 

CENTRO CULTURAL VILA FLOR | GUIMARÃES

 

No âmbito da sua programação, a equipa da CONTEXTILE 2012 está a organizar uma Conferência que pretende fazer um ponto de situação, nacional e internacional, sobre a Arte Têxtil.
Contamos com a presença de convidados especializados, provocados para apresentar os seus estudos, trabalhos e experiências, nomeadamente nas questões do mercado, da realização de eventos de promoção e da situação da Arte Têxtil no universo dos programas das escolas artísticas, questões atuais que se movem em torno da reflexão sobre a Arte Contemporânea.
Para mais informações:
Contextile 2012

 


 

SPEED PROJECTS | CONFERÊNCIA Arte Têxtil Contemporânea

2 e 3 de Outubro de 2012

 

CENTRO CULTURAL VILA FLOR | GUIMARÃES

 

A conferência Arte Têxtil Contemporânea: que perspetivas? cria a oportunidade de serem realizadas apresentações individuais – os Speed Projects – que poderão incidir nas áreas da educação artística, da produção artística, de experiências de mercado ou outras, com a duração máxima de 10 minutos. O trabalho deve ser apresentado de forma clara e sucinta e endereçado à organização da CONTEXTILE 2012 (contextile.trienal@gmail.com) até 07 de Setembro, indicando o tema e anexando 10 imagens que ilustrarão a apresentação. A organização reserva o direito de seleção das propostas apresentadas, segundo critérios de diversificação de trabalhos, de modo a tornar as sessões dinâmicas e interessantes na compreensão do universo da Arte Têxtil.
Formulário de candidatura disponível em: CONTEXTILE 2012

 


 

Residências Artísticas | IN FACTORY

Julho de 2012

 

Guimarães

 

Duas artistas deram início no passado dia 2 de Julho (até 31 de Julho) à Residência In Factory em duas empresas têxteis de Guimarães. A artista Ernesta Dikinytè (Lituânia) desenvolve o seu projeto na empresa Pereira da Cunha SA e Francesca Piñol (Espanha) realiza o seu trabalho na empresa Sampedro.

O resultado das residências, enquadradas no programa da Contextile 2012, irá ser apresentado ao público a partir do dia 1 de setembro, altura da inauguração da Contextile 2012 – Trienal de Arte Têxtil Contemporânea.

Para saber mais sobre as residências artísticas: CONTEXTILE 2012

 


 

CONTEXTILE 2012 – TRIENAL DE ARTE TÊXTIL CONTEMPORÂNEA

1 Setembro | 14 Outubro 2012

 

Cidade de Guimarães

 

A IDEIAS EMERGENTES está a promover e a organizar a 1ª edição da CONTEXTILE 2012, de 1 de Setembro a 14 de Outubro de 2012 na cidade de Guimarães, integrando a programação da GUIMARÃES 2012 – Capital Europeia da Cultura. A trienal alberga uma exposição competitiva com Prémio de Aquisição, aberta à participação de artistas nacionais e estrangeiros, sendo aceites todas as expressões artísticas nas disciplinas das artes visuais.
Contextile 2012

 


 

NATAL na IMERGE'11 | Exposição Venda de Autor

21 Novembro | 31 Dezembro 2011

 

Espaço Imerge, Rua St. Catarina, 781, 1º | Porto

 

Segunda a Sábado, 10h/19h

Como tem sido habitual nos últimos anos, decorre neste momento, no Espaço IMERGE, a Exposição/Venda de Autor de Natal. Nesta ocasião a dimensão e quantidade de objectos de Autor expostas no nosso Showroom é alargada. O evento de Natal deste ano acolhe, entre autores permanentes e autores convidados, cerca de 50 criadores portugueses.

 


 

4000 ATELIERS, 1ª Edição

12 de Novembro de 2011

 

Baixa do Porto

 

Percurso pelos ateliers de Arquitectura na baixa do Porto

A IDEIAS EMERGENTES participou na 1ª edição do evento 4000 Ateliers.
No passado dia 12 de Novembro, Sábado, 20 ateliers de Arquitectura da baixa do Porto abriram as suas portas e deram a conhecer ao público em geral o seu trabalho.

Para saber mais sobre este evento visite: 4000 Ateliers


 


 

REWIND: Portuguese Textile and Contemporary Art Exhibition

22 Setembro | 04 Dezembro 2011

 

Kaunas, Lituânia

 

Lúcia David - curadora e artista participante – seleccionou seis artistas ( Márcia Luças, João Vaz de Carvalho, Lilia Catarina, Jorge Ramos, Conceição Rios, Alexandra Ministro, Lúcia David ), com um leque variado de trabalhos e experiências pessoais que exploram os têxteis de diversas formas e ângulos. Originalmente designers de moda, ilustradores, pintores ou escultores, estes artistas debruçaram-se sobre o tema e utilizaram os têxteis como meios de expressão nas suas diversas perspectivas e abordagens.

Ao lado, detalhe da obra de Alexandra Ministro

 


 

KAUNAS BIENNIAL, TEXTILE 11: Rewind - Play - Forward

22 Setembro | 04 Dezembro 2011

 

Kaunas, Lituânia

 

"A 8º edição da Kaunas BIENNIAL TEXTILE'11: REWIND-PLAY-FORWARD é uma plataforma para as inter-relações entre as artes visuais e performativas e também para a arte, ciência e indústria: dança, teatro, conferências, workshops, excursões, actividades públicas artísticas irão unir artistas e enriquecer a comunidade local para a experiência comum na (co)/(pós)produção."

Página oficial: www.bienale.lt

 


 

PLAY

Junho | Novembro de 2011

 

Porto, Portugal - Kaunas, Lituânia

 

Workshop / criação de espectáculo (cruzando a Dança e as Artes Plásticas), pela coreógrafa Né Barros. Com a participação de bailarinos da Companhia Dança e Teatro AURA da Lituânia, uma artista plástica e um músico também lituanos, decorreu de 12 a 21 Junho de 2011 no Auditório Balleteatro, Porto e terá continuidade em Novembro em Kaunas, estreando a 12 de Novembro 2011.
Esta produção integra o AURA 21 International Dance Festival e Kaunas Biennial, Textile'11.

 


 

 

 

Estrutura financiada por: Site financiado por:
  
  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

English


Copyright © Ideias Emergentes 2011     Rua de Santa Catarina nº 781, 4000-454 Porto, Portugal     Telefone e Fax 22 201 01 07     Webdesign     Email     Facebook